terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Piada sem graça

           Só pode ser piada e de muito mau gosto o Congresso aprovar um reajuste dessa proporção no próprio salário. Com a quantidade de dinheiro que essa corja de imbecis desvia e com a quantidade de benefícios que recebem pra não fazer nada pela população, deveriam sentir vergonha só de cogitar essa possibilidade de aumento. Pior de tudo é ouvir gente dizendo que o aumento é merecido. Isso é sério mesmo? Queria que fosse apenas mais uma piada de mau gosto, mas já que não é e quer sair do plano das ideias, resta a nós, cidadãos nos mobilizarmos de alguma forma. Ou será que o povo só tem voz ativa pra definir os palhaços que entram nesse circo?

          Ainda pior são os mais absurdos tipos de benefícios que eles recebem. Auxílio-moradia, auxílio-combustível, auxílio-passagem aérea, auxílio-terno... opa, auxílio-terno? o.O
O infeliz ganha muito além de cinco mil e ainda precisa de auxílio pra comprar terno? E por que ao invés do auxílio-terno ou gasolina ir pros parlamentares não vai pro chefe de família desempregado que precisa parcelar em quase vinte vezes no cartão de crédito uma roupa decente e estar bem vestido pra cumprir apenas um dos pré-requisitos pra concorrer a uma vaga de emprego, que é boa aparência? Fora receber auxílio-combustível enquanto muitos pais que não têm situação financeira confortável vivem no dilema de se apertar pra colocar os filhos numa boa escola ou matricular nessa vergonha que chamam de educação pública. Os que, sem muita saída, optam pelas escolas particulares, além de gastar com material escolar, mensalidades quase nunca baratas e todos os custos que envolvem sustentar um filho, em muitos casos ainda precisam se preocupar com o transporte escolar.
Até porque se ensino público fosse realmente bom, por que os filhos dos políticos iriam estudar no exterior ???
Particularmente acho absurdo o fato de estudantes de escolas particulares ou crianças, mesmo que maiores de 5 anos serem obrigadas a pagar passagem. Não existe nem um meio termo, como meia-passagem ou coisa parecida. Isso como se eles se sustentassem, né? (Pelo menos aqui no Rio de Janeiro é assim o lance da passagem)

          Será que todos esses benefícios vão pra quem realmente precisa deles? Muita gente critica tanto programas como o Bolsa-Família, Cheque Cidadão, que vão pro povo e por que não batem na tecla desses benefícios parlamentares?

          Ser deputado pra ter grana pra bancar orgias milionárias regadas a prostitutas, rechear as contas bancárias nas ilhas fiscais e ficar quatro anos recebendo pra aparecer bimestralmente na Câmara ou na Assembléia é mole..

                    Queria ver quantos restariam se ao invés de aumentar, fosse decidido pelo povo reduzir o salário desses imbecis a um salário mínimo sem direito a nenhum desses benefícios absurdos que eles recebem...

(Talvez fosse igual aquele joguinho: Resta 1
Ou quem sabe, nenhum...)




2 comentários:

Paulo Braccini disse...

querido! nós merecemos isto sim ... todos q lá estão ali chegaram e ali permanecem com o nosso aval ... então não temos o direito de reclamar nada ... temos é q aprender de vez ... mas nesta possibilidade eu já não acredito mais ...

bjão

;-)

Wall ? disse...

Esse nosso aval, digo que é parcial... nenhum dos candidatos que eu votei na eleição passada, ou seja os que ainda estavam no poder ano passado, figuravam na lista dos filhos das putas que fizeram isso. Não querendo dizer que não sou culpado, de certa forma sou sim..

É como você disse uma vez aqui, Bratz... as mudanças vem do micro pro macro... não adianta dormirmos achando que vamos acordar no dia seguinte com toda a nação conscientizada e agindo... Conscientização é um trabalho que se dá aos poucos e é árduo! Enfim, létisgôu !

Segue a missão! ;)
Segunda-feira, 10 Janeiro, 2011

Postar um comentário